Nós Nunca Saímos Do País

Nós fazemos arranjos, nós vamos

Então nós dizemos adeus

Mas nós nunca deixamos o país

Pais, aliados e amigos

Nós temos lágrimas em nossos olhos

E nós oramos ao grande deus

Para aqueles que ficam

Mesmo para aqueles que odiamos

Nós temos um coração pesado

As línguas são sobrecarregadas pelas palavras

Nos sentimos fracos e confusos

Nós somos loucos e condenados

Temos desconforto

Nós não estamos confortáveis

Nós oramos, sonhamos e esperamos

Desde que as irmãs e irmãos

São deixados para trás

Que dor! Que quimeras!

Pensamos no conteúdo dos gabinetes.

Nós apreciamos o tesouro de memórias

Nós nunca saímos do país

Nós nunca deixamos o Haiti

Nós nunca deixamos a Argélia

Nós nunca saímos de Paris

Nós nunca saímos da Tunísia

Nós nunca deixamos a África

Nós nunca deixamos das Américas

Nós nunca saímos as imagens

Nós nunca saímos da paisagem

Nós nunca dexamos da cidade

Mesmo através das idades

Nós somos poeira, sujeira

E nós nunca saímos da terra

Nós nos tornamos o país

É o corpo que vai, voa

E quem retorna à tarde

O que resta é o espírito

O que resta é a alma

No meio da regra

Somos melancolia e emocional

Nós não sentimos mais o sol ardente

Nós não estamos com sono

E nos tornamos irracionais

Nós nunca deixamos o país

Desde que sempre pensamos em amigos

Os aliados, os membros da família

E a beleza natural de pequenas cidades.

 

PS: Este poema é uma tradução de " On Ne Laisse Jamais Le Pays" /

"We Never Leave The Country” escrito por Hébert Logerie.

 

Copyright © junho 2021, Hébert Logerie, todos os direitos reservados

Hébert Logerie é o autor de vários poemas.

 

This poem is about: 
Me
My family
My community
My country
Our world

Comments

Need to talk?

If you ever need help or support, we trust CrisisTextline.org for people dealing with depression. Text HOME to 741741